Distrito de Vila Oliva

Vila Oliva é um dos distritos mais intrigantes de Caxias do Sul. Ele guarda tantas curiosidades que conforme você vai conhecendo, se surpreende cada vez mais. O local passou por diversas fases dentro de sua história centenária: vida nômade do índio, criação de gado, extração da madeira, cultivo de grãos como trigo e milho. Atualmente, destaca-se no Estado pela produção de hortifrutigranjeiros e, no futuro, será sede do novo Aeroporto Regional da Serra Gaúcha.

No passado, a região era habitada pelos índios das tribos Kaingang e Xokleng. Por conta disso, a área possui vários sítios arqueológicos mapeados e três destes estão destacados na publicação Patrimônio Arqueológico de Caxias do Sul, do Dr. Rafael Corteletti, pesquisador no assunto. Outro ponto interessante é que esses nativos também deixaram um grande legado de araucárias na região segundo pesquisadores da USP, da Universidade Federal de Pelotas e Universidade de Exeter (oeste da Inglaterra). 

A Fazenda do Raposo em Vila Oliva que perteceu a Belizário Soares, chamado como “Sinhô Grande” pode ser dizer que eram poderoso da época. Tinha uma espécie de exército eles mandavam e desmandavam  tinha sua sede no distriito. Destacamos aqui a Revolução Federalista (1893-1895) era um dos chefe revolucionários e tinha seu centro de operações localizado na Fazenda do Raposo (Vila Oliva). Belizário juntamente com seus parceiros federalistas chamados de maragatos que eram contra o governo. Articulam e invadem a Vila de Caxias, com aproximadamente 500 homens, numa batalha que durou um dia e noite contra seus inimigos os republicanos, conhecidos como picapaus por estarem ao lado do Governo, eram também conhecidos como governistas e chimangos. 

De acordo com as histórias, em 1932, os irmãos Oliva (Francisco e Luiz) adquiriram 33.000 km² de terra, dominada por pinheiros e mata nativa, onde trabalharam na extração de madeira. Como a madeireira exigia uma grande mão de obra, isso atraiu diversos trabalhadores para o local, os quais adquiriram terrenos nas proximidades, dando origem à vila que homenageou os fundadores.

Era do Ouro da madeira, Vila Oliva chegou a ter 15 madeireiras - com grande extração de madeira, gerava sobras - e, estimulada por elas, a Cia Celulose de Canela abriu uma unidade em Vila Oliva, responsável por transformar os restos de madeira em uma pasta (base para transformar o material em papel, que era transportada para fábrica em Canela). A partir disso, surge a Barragem da Pasta, criada com objetivo de gerar energia para moer restos da madeira até transformá-los nessa matéria-prima.

Atualmente, essa tradição com a madeira é vista na silvicultura. Vila Oliva é o distrito em que essa prática é mais forte. Trata-se da ciência que estuda formas naturais e artificiais de restaurar e melhorar o povoamento nas florestas de forma a atender as exigências do mercado. Pode ser aplicada na manutenção, no aproveitamento e no uso consciente das florestas. Esse é um legado que vem lá do início da história, quando a extração da madeira era a principal fonte de sustento. Atualmente, as árvores criam caminhos e túneis que desenham paisagens deslumbrantes.

Grande áreas de terra do distrito foram adquiridas por filhos dos colonos italianos para plantio de trigo e milho. Em 1970, uma colônia japonesa se estabeleceu na região para estimular o cultivo de verduras. A prática foi dando certo e expandindo-se. Atualmente, Vila Oliva é a maior produtora de maçãs, beterraba e cenoura do estado e possui diversos outros cultivos. 

Com uma agricultura forte que abastece o estado e pais tem diversos cultivos interessantes para conhecer.  Para quem deseja adquirir alimentos diretos das propriedades rurais tem locais para visitar,  conhecer um pouco da vida do campo, opções de colher seus frutos e até fazer alguns produtos. Um programa maravilhoso e diferente para quem deseja curtir natureza e desfrutar mais deste exitoso setor e distrito. 

            

Outro momento marcante para o distrito foi 1946, quando o Colégio Anchieta inaugura uma grande obra em Vila Oliva, a Casa da Juventude, com o objetivo de oferecer um espaço para colônia de férias aos alunos. Os Ancheitanos tiveram e continuam com uma significativa contribuição ao distrito através de diversas ações, parcerias e as atividades do Colégio Anchieta levam movimento ao distrito. São consumidos os produtos locais e assim colaboram com a economia de Vila Oliva. Recentemente, em 2008 foi inaugurada uma nova e modernas instalações que ao chegar a Vila logo chamará atenção.

Localizado a cerca de 40km da sede do Município de Caxias do Sul, o distrito de Vila Oliva foi anexado a cidade em 1954, após realização de plebiscito entre seus moradores, já que antes pertencia ao município de São Francisco de Paula. Possui  hoje 2,5 mil habitantes e futuramente abrigará o Aeroporto Internacional da Serra Gaúcha, que levará progresso para a região.

O distrito também se destaca pelo tradicionalismo. Ali, fica o CTG Parque de Rodeios de Vila Oliva, que promove a tradicional Festa Campeira de Vila Oliva, reunindo milhares de apreciadores da tradição gaúcha. Em 2007, foi inaugurada a Escultura do Cavalo, em fibra de vidro, com 3,25 metros de altura. O Monumento ao Cavalo, único na América Latina. Junto ao Parque de Rodeio está a Fazenda Parque Turismo Vila Oliva, com o objetivo de oportunizar  experiências  voltadas ao tradicionalismo gaúcho como almoço e jantar campeiro, café de chaleira ao modo antigo, passeio a cavalo e caminhada em meio a mata nativa. 

As Festas realiza anualmente no  distrito são: O Rodeio Crioulo, em novembro, e a Festa de Santo Expedito, padroeiro da localidade, em abril , grande evento com triduo, missa, procissão e o tradicional almoço  festivo. Outra comemoração que vem se destacando bastante é a Sabores de Vila Oliva, evento gastronômico com diversas cozinhas com sabores distintos. O distrito também celebra a  "Semana de Vila Oliva", no mês de maio, com o objetivo de comemorar os frutos colhidos e sonhar com um sol que ilumine o futuro. Uma semana com diversas comemorações.

Futuro promissor

Após muitos estudos de viabilidade serem analisados, o distrito de Vila Oliva foi definido como local mais indicado para a implantação do novo Aeroporto Regional da Serra Gaúcha, em Caxias do Sul. A área desapropriada que receberá o aeroporto compreende 445 hectares e se encontra na comunidade deTabela, território pertencente ao distrito. O aeródromo terá capacidade de operação para Boeing 737, terminal de passageiros de 4,7 mil m² e 500 vagas, além de pátio com 26 mil m², pista com 1,9 quilômetros de comprimento e 45 de largura, podendo receber oito aeronaves simultaneamente. Mais informações sobre o aeroporto aqui.

Confira o vídeo O Nosso Interior - Vila Oliva produzido Câmara Municipal de Caxias do Sul.

Veja vídeo realizado num voo de parapente/paraglider e conheça um pouco mais deste lugar onde a maior beleza está na simplicidade.

CONFIRA A BAIXO OS ATRATIVOS DE VILA OLIVA E CONHEÇA ESTE LINDO DISTRITO.