Memorial Irmãos Bertussi

Memorial Irmãos Bertussi 

Memorial

Ao ar livre e aberto diariamente (Durante à pandemia, consulte disponibilidade de dias e horários para visitação)

Valor: gratuito

São Jorge da Mulada, distrito de Criúva

Para realização de passeio em todo o roteiro, sugere-se acompanhamento de guia de turismo. A Criúva Operadora tem serviço de guia e passeios.



Memorial

Idealizado pela associação de moradores locais, o memorial presta homenagem aos irmãos Adelar e Honeyde Bertussi, dois acordeonistas de sucesso, principalmente nos anos 1960, 70 e 80. Foram compositores de músicas com letras que contam histórias da formação do povo dos Campos de Cima da Serra, os gaúchos serranos. 

O obelisco simboliza o verdadeiro marco que a dupla representou na história da música não só na região mas no Brasil. Além da estátua em bronze que eterniza os Irmãos Bertussi, o Memorial oferece aos visitantes a oportunidade de apreciar toda a trajetória musical da dupla, por meio de exposição de fotos, vídeos, discos, DVDs, cartazes, partituras, recortes de jornal, correspondências, contratos, medalhas e troféus. Cada plataforma também serve de mirante, que permite contemplar as belezas naturais do interior caxiense.

Conheça os trabalhos 

Com uma trajetória de sucesso, Os Bertussi, em seu CD Irmãos Bertussi - Memorial Irmão Bertussi - Edição Histórica, lançado em 2008, reportam ao público músicas que reforçam a grandeza e o orgulho pela tradição de cultuar o que é do Sul. Acompanhe e divulgue a música do RS ao som de Os Bertussi. O CD regional traz uma coletânea incrível da dupla. Conheça aos maiores sucessos deles clicando neste link

Faixas
1. Oh De Casa
2. Sangue de Gaúcho
3. Cancioneiro das Coxilhas
4. Cavalo Preto
5. Loura Casada
6. O Casamento da Doralicia
7. Baile da Serra
8. Zaino de Estimação
9. Laranjeira
10. São Francisco é Terra Boa
11. Baile da Encruzilhada
12. Festa do Morro Feio
13. Chorando de Amor
14. Sanfona Pachola
15. O Tropeiro
16. A Volta do Tropeiro

 

 


História dos Irmão Bertussi

Honeyde Bertussi (São Francisco de Paula, 20 de fevereiro de 1923 — Porto Alegre, 4 de janeiro de 1996)

Adelar Bertussi (Caxias do Sul, 15 de fevereiro de 1933 – Campo Largo, 30 de setembro de 2017)

De família de músicos, em 1940, seu pai Fioravante Bertussi formou um grupo com seus quatro filhos para tocar em bailes e festas: Honeyde, tocava violão e acordeon, Walmor, clarinete e bateria, Wilson, clarinete e saxofone e Adelar, ainda menino, tocava cavaquinho, gaita de botão e pandeiro, aperfeiçoando-se mais tarde em acordeon.

Na década de 1950, Honeyde e Adelar se destacaram tocando e cantando e formaram a maior dupla gaúcha de todos os tempos, os Irmãos Bertussi.

Criou com seu irmão Honeyde Bertussi (20 de fevereiro de 1923 - 4 de janeiro de 1996) um grupo de baile ao qual foi dado o nome de Irmãos Bertuss

Ele e seu irmão foram os pioneiros da música tradicionalista gaúcha e também foram o primeiro grupo a incluir a bateria em bailes, fato inédito, porque na época os artistas se apresentavam nos bailes com um pandeiro, uma gaita, um violão e um bumbo. Os dois irmãos formavam um dueto de acordeon, dando assim início à moda de baile com duas gaitas ao invés de uma só.

Hoje é referenciado como um símbolo do tradicionalismo gaúcho.

Com a morte de Honeyde, Adelar seguiu na música. Sua carreira de músico contou com mais de 70 anos de vida profissional. Entre LPs e CDs, possuiu mais de 50 discos gravados. Realizou mais de 6 mil apresentações entre bailes, shows e participações especiais no Brasil e exterior. Possuiu mais de 400 músicas gravadas incluindo folclóricas e regionais do sul, além de músicas populares brasileiras, internacionais e clássicos. Também escreveu métodos de acordeon que em parceria com o Maestro Waldir Teixeira, lançou o primeiro método “Som Bertussi” e na sequência o segundo volume intitulado “Som Bertussi – Som Maior”.

CLIQUE AQUI PARA TRAÇAR A ROTA ATÉ O LOCAL