Agroindústria Rosa - Queijaria

AGROINDÚSTRIA ROSA - QUEIJARIA - Criúva - Produz queijos colonial e outros produtos derivados do leite.

Visitação: venda de queijos na propriedade diariamente, mediante reserva.

Endereço: Estrada Municipal Professor Natalino Boschetti - São Jorge da Mulada - Criúva - Veja a baixo como chegar.

Fone: 54 99699 8143

Whats: 54 99699 8143

Todas as sextas-feiras o produto  também está a venda nos três Pontos de Safra de Caxias do Sul. 

Rua Treze de Maio (entre a Sinimbu e a Avenida Júlio de Castilhos): das 6h às 16h
Moreira César (entre as ruas Os 18 do Forte e Sinimbu): das 6h às 17h
Praça Dante Alighieri: das 6h às 17h



Queijo da Agroindústria Rosa atrai pessoas de diversos lugares

Casal responsável pelo produto tem controle de qualidade em toda a cadeia, da matéria-prima à distribuição

 

Vem de família a forma de produzir queijo na Agroindústria Rosa, em Criúva. E com certeza esse é um dos motivos do sucesso do negócio. Deisiane da Rosa e Evilásio Silveira da Rosa produzem 25 quilos de queijo colonial por dia. Todas as peças são vendidas. “Abrimos a agroindústria em 1997, e eu aprendi a fazer queijo com o meu marido e os meus sogros. Começamos com o serrano, que era o que eles faziam, mas depois acabamos mudando para o colonial”, conta ela.

Os pais de Evilásio, Agenor da Silveira da Rosa (falecido) e Amélia Terezinha dos Passos da Rosa foram os responsáveis por começar essa história. Por muito tempo, fizeram queijo serrano, em um tempo em que tudo era diferente. Não havia agroindústria, era tudo caseiro, e esse sabor foi passado para a segunda geração. “Meu marido aprendeu com os pais. Meus sogros sempre falavam que era para seguir o jeito deles, diziam ‘tem que ser assim’. Nós seguimos e hoje temos essa venda extraordinária. Nunca sobrou queijo, nenhum dia”, acrescenta Deisiane.

Nem quando foi preciso mudar o tipo do produto houve perda de consumidores. Em 2018, eles decidiram migrar do serrano para o colonial, porque as regras foram alteradas. “Nossas instalações são pequenas e a cura de 60 dias no queijo serrano se tornou inviável para nós”, conta. Deisiane, então, visitou uma agroindústria de amigos que produzem o colonial, fez um curso e alterou o foco da queijaria. No primeiro ano, houve um concurso nacional. O casal decidiu participar e ganhou medalha de ouro. Além da garantia dos consumidores, esse foi mais um reconhecimento de que o novo produto estava muito bom. “Algumas pessoas ainda pedem o queijo serrano, mas explicamos a situação, oferecemos o colonial e elas gostam”, acrescenta.

Um outro motivo é responsável pelo bom desempenho. O casal tem o controle da cadeia de produção. O leite usado vem de vacas criadas na propriedade e até a entrega está a cargo de Deisiane e Evilásio. “Meu marido cuida mais do leite, das vacas e da lavoura em que elas se alimentam. Nós produzimos o queijo e eu faço as entregas. Acompanhamos desde a matéria-prima até a chegada ao cliente”.

Esse cuidado em todas as etapas contribui para o sabor que atrai pessoas de todos os lugares à agroindústria. Você também pode comprar direto com eles. O casal atende todos os dias da semana, das 8h às 17h, mas é recomendado ligar antes e combinar. Se você não está com previsão de ir a Criúva, sem problemas. O produto está também nos três Pontos de Safra de Caxias do Sul. Não tem desculpa para não experimentar.

CLIQUE AQUI PARA TRAÇAR A ROTA ATÉ O LOCAL