Instituto Hércules Galló

O Instituto Hércules Galló é ponto obrigatório de parada, pois reúne acervo sobre o início do segundo momento da história de Caxias do Sul, a partir de 1900: a industrialização. Casa antigas de madeira foram restauradas e hoje estão abertas à visitação pública.

Aberto de terça a sábado, das 13h30 às 17h30. Excepcionalmente sob consulta poderá haver visitação com agendamento.

Facilidade de acesso, via BR 116 em direção ao Sul - Nova Petrópolis. Cerca de 12 quilômetros do centro de Caxias. Estrada asfaltada. Tem linha ônibus Galópolis. 



Contato: (54) 3028-2810

O Projeto

José Galló, herdeiro das casas que pertenceram a Hércules Galló, decidiu recuperar as residências em 2009. A preocupação era que as edificações que testemunharam boa parte da história de Galópolis sucumbissem à degradação do tempo. Além disso, o instituto buscou inspirar outros proprietários a preservarem construções com histórias e significados semelhantes.

A primeira medida foi buscar o tombamento dos imóveis pelo Patrimônio Histórico Municipal de Caxias do Sul. O processo foi concluído em julho de 2010. Com os imóveis tombados, os proprietários receberam o direito de comercializar índices de potencial construtivo, o que subsidiou a recuperação das casas.

Para efetivar a restauração, o projeto incluiu etapas de levantamento histórico, com pesquisas bibliográficas, iconográficas, investigações arqueológicas, registros fotográficos e  levantamento topográfico. 

 

Instituto Hércules Galló

Inspirado na figura emblemática do imigrante italiano que empresta seu nome, o Instituto Hércules Galló nasceu da vontade dos descendentes de preservar a memória do empreendedor do setor têxtil da Serra Gaúcha. O propósito inicial do instituto é ser tutor do conjunto de residências restauradas, localizada em Galópolis, bairro de Caxias do Sul (RS), mas também transformar o local em um centro voltado à cultura e à memória.

O instituto se propõe a ser agente gerador de projetos culturais e educacionais e ser pensante nas questões de preservação e atrações para Galópolis. A ideia é interagir com a comunidade, apoiando movimentos no mundo das artes, acolhendo exposições, encontros, mostras e palestras. Além disso, o IHG quer chamar atenção para outras edificações existentes em Galópolis que mereçam atenção enquanto Patrimônio Histórico Local.

O instituto também quer motivar a comunidade do bairro e de Caxias do Sul a encontrar caminhos para atrair turismo cultural e de lazer. Estabelecer vínculos com outros institutos e organizações que tenham os mesmos intuitos, em âmbito regional, nacional ou internacional, é outra meta importante do IHG.

Quem foi Hércules Galló 

Hércules Galló nasceu em Piemonte, na Itália, em 1869, um ano antes da unificação do país. O processo que agregou reinos, repúblicas e ducados em uma só nação foi determinante para, 30 anos mais tarde, Galló deixar o país. Diferentemente de outros italianos que viam na emigração uma saída para as dificuldades econômicas, Galló percebeu a América como uma nova possibilidade de investir a herança e outras economias.

Após uma passagem pelo Rio de Janeiro, Hércules Galló começou a trabalhar na Fiação de Tecidos Portoalegrense, na capital do Rio Grande do Sul. Em 1904, investiu as economias trazidas da Itália na compra de ações de um lanifício que funcionava como cooperativa em Galópolis.

Como propulsor da indústria têxtil na Serra Gaúcha, Galló foi responsável por colocar Caxias do Sul no cenário econômico do Rio Grande do Sul. O lanifício, à época chamado Companhia de Tecidos de Lã, prosperou sob a administração do italiano. Em 1910 era considerado uma das 10 maiores empresas do Estado. Dois anos depois, Galló associou-se à Casa Comercial Chaves e Almeida, um dos principais clientes do lanifício.

Entre 1910 e 1920, Hércules Galló também dedicou-se à vida pública. A porta de entrada foi a Associação de Comerciantes municipal, em 1912. No final do mesmo ano, Galló foi nomeado vice-intendente de Caxias do Sul, ato assinado pelo intendente Coronel Penna de Moraes. Galló assumiu o mais alto cargo do Executivo da época entre 1914 e 1915, devido a uma licença do titular Penna de Moraes. Hércules também foi o primeiro deputado da Serra Gaúcha, integrando a 7ª legislatura da Assembleia dos Representantes entre 1913 e 1916.

Prestes a constituir um novo lanifício, possivelmente na vila que o acolheu e que ele ajudou a  desenvolver, Galló morreu em 9 de maio de 1921, aos 51 anos, em Porto Alegre. 

 

 

 

 

 

CLIQUE AQUI PARA TRAÇAR A ROTA ATÉ O LOCAL