Monumento Nacional ao Imigrante

Monumento homenagem aos imigrantes Brasileiros de todas as Etnias.
Dispõe de visita guiada com mediadores 

Valor para visitação: Gratuito.

 

Dias e Horários: terça a sexta, das 9h às 17h, no sábado 11h às 17h

(Durante a pandemia, consulte a disponibilidade de dias e horários conforme as mudanças de bandeiras)

Visitas podem ser agendadas pelo telefone (54) 3901.8940.

 

Local: na BR 116, Km 150,  no final da Avenida Júlio de Castilhos próximo da Universidade de Caxias do Sul. Fica ao lado da Estação de ônibus Imigrante ( veja a localização e trajeto no mapa a baixo)

Transporte Público: se for de ônibus pergunte ao motorista se ele passa na Estação Imigrante ou enfrente ao Monumento. A maioria dos ônibus que seguem pela rua Sinimbú passam pelo local.



 A obra é, sem dúvidas, uma demonstração da pluralidade de etnias que faz do Brasil um país de todas as descendências. Assim, não à toa está cunhada no monumento a ilustre frase: "A NAÇÃO BRASILEIRA AO IMIGRANTE".

 

O ano de 1950 foi de importante valor histórico e cultural para Caxias do Sul. O município completava 40 anos desde a chegada do trem e a elevação de vila à condição de cidade, além da data marcar o 75º ano da imigração italiana no Rio Grande do Sul. Foi também nesse ano que a Festa Nacional da Uva voltou a ser realizada após 13 anos de pausa devido à Revolução de 1930 e a 2ª Guerra Mundial. Para marcar essa data, foi sugerida a criação de uma obra de grande porte, diferenciada, em local estratégico e com grande visibilidade. Dessa forma, nascia o Monumento ao Imigrante, localizado na BR-116 e com uma vista para a popular Avenida Júlio de Castilhos, uma das principais e mais antigas vias públicas da cidade.

Sua pedra fundamental foi inaugurada em 1950 pelo então Presidente da República Eurico Gaspar Dutra. A construção partiu da iniciativa de uma comissão comunitária, que realizou um concurso para definir o melhor projeto dedicado a homenagear os imigrantes italianos do estado.  A verba, oriunda de doações, foi significativa mas não permitia a conclusão da obra. Foi decisivo, então, o respaldo do Governo Federal que, ao atribuir ao monumento um caráter nacional, disponibilizou recursos da União. Deste modo, a destinação inicial do monumento foi alterada pela Lei 1.801 de 2 de janeiro de 1953, que determinou que ele homenagearia não somente os imigrantes italianos mas todas as etnias que contribuíram para a povoação e progresso do Brasil, passando a ser reconhecido como um monumento nacional.

Inaugurado em 28 de fevereiro de 1954 pelo infame Presidente Getúlio Vargas, durante a Festa Nacional da Uva, o Monumento Nacional ao Imigrante está de pé até hoje, lindo e majestoso como sempre, e permanece atraindo os olhares de quem passa em sua frente. Ele é constituído por uma escultura em bronze de 4,5 metros de altura, representando um casal de agricultores com uma criança nos braços. A obra foi criação do escultor Antonio Carangi, que venceu o concurso realizado para criação da obra. Silvio Toigo e José Zambom foram os encarregados dos trabalhos em alvenaria, pedra e granito. No local, há também um obelisco com três peças em relevo, ilustrando a chegada, o trabalho e a integração na nova terra.

Confira visita virtual ao Monumento Nacional ao Imigrante.

Sob o grupo escultórico, a ornada porta de bronze dá acesso à cripta, traz a imagem de Luiz Antônio Feijó Júnior recebendo os imigrantes, emoldurada por versos gravados de autoria de Cassiano Ricardo. A cripta, revestida de mármore doado pelo governo da Itália, abriga um espaço museológico destinado à pluralidade étnica. Um monumento que homenageia tanto a vida quanto a pluralidade das pessoas que construíram o Brasil, contada de forma fascinante por meio de objetos, painéis e do próprio monumento

 

Veja também matéria publicado Jornal Pioneiro em 05/11/2018 em homenagem 70 anos do Monumento

 

CLIQUE AQUI PARA TRAÇAR A ROTA ATÉ O LOCAL