Artesão Raul Rodrigues

Artesão Raul Rodrigues atua há mais de quatro décadas com arte em madeira, com destaque para as gamelas. Ao lado dele, trabalha o marceneiro André Rodrigues, que se dedica aos móveis.

Horários: das 8h às 12h e das 14h às 18h, de segunda  a sexta. No sábado, das 8h às 12h.

Endereço: Rua Nilo Bassanesi 496, ( ao lado da cancha de Rodeio) - Vila Seca

Fone/whats: 54 99959 6060



Raul Rodrigues faz artesanato com madeira há mais de 40 anos

Gamelas vendidas em feiras e direto em Vila Seca são produzidas na família há várias gerações

Raul Rodrigues trabalha com madeira desde os 15 anos de idade. Segundo ele, faz “40 anos e alguma coisa”. Isso pode ser um motivo que explica a incrível capacidade de transformar essa matéria-prima em objetos lindos. Mas com certeza não é o único: “eu amo fazer as gamelas”, diz ele. O amor pelo que faz é o principal ingrediente de um negócio que vem dando certo desde 2000.

Não foi naquele ano que ele começou propriamente a fazer o artesanato com madeira, mas foi a partir de quando não parou mais. “Eu fazia umas coisinhas no passado, mas acabei parando para me dedicar ao trabalho mesmo, à marcenaria. Em 2000, tive a chance de retomar e então sigo fazendo até hoje. A marcenaria continua, mas agora o artesanato é o carro-chefe”. As gamelas são lindas e fazem sucesso em todos os lugares em que são vendidas, incluindo muitas edições da Festa da Uva, responsável por torná-lo bastante conhecido.

Além de poder trabalhar com a madeira, algo que adora, Raul também vê nas gamelas uma forma de manter viva uma história. Ele conta que, há muito tempo, elas eram a forma de sobrevivência de muitas pessoas. “Meus dois avôs trabalharam com isso, então eu falo que quando nasci, já tinha pedaços de madeira nas veias”, diverte-se. Do avô, chegou no pai, Rogério de Oliveira Rodrigues, e a Raul. “Nós ajudávamos na lavoura quando éramos pequenos e, quando chovia, como não dava para ir para a agricultura, aprendíamos o artesanato”, acrescenta. O pai fazia menos, trabalhava mais com a marcenaria tradicional, e um tio, Bernardino de Oliveira Rodrigues, foi a grande inspiração. “Eu ficava fascinado vendo meu tio fazer as gamelas”.

A história que está na terceira geração deve seguir por mais uma. O filho de Raul, André Luiz Rodrigues, segue também trabalhando com madeira, mas com obras diferentes das do pai, como mesas e outras necessidades exclusivas de clientes.

Vale muito a pena ir até lá e conhecer. “Usamos muita madeira de aproveitamento, retalhos que sobram. O que é lixo para alguns, para mim, é luxo”, conclui.

CLIQUE AQUI PARA TRAÇAR A ROTA ATÉ O LOCAL