Futuro Aeroporto de Vila Oliva

A Serra gaúcha é uma das principais regiões econômicas do Rio Grande do Sul e do Brasil. Apesar de toda esta importância, o território apresenta deficiências no seu sistema logístico, impedindo um melhor desempenho por conta da dificuldade de transportar seus produtos para os centros consumidores no Brasil ou no exterior.

Após muitos estudos de viabilidade serem analisados, o distrito de Vila Oliva foi definido como local mais indicado para a implantação do novo Aeroporto Regional da Serra Gaúcha, em Caxias do Sul. A área desapropriada que receberá o aeroporto compreende 445 hectares e se encontra emTabela, território pertencente ao distrito. O orçamento estimado para a construção do aeroporto é de R$ 200 milhões e o recurso será proveniente do Fundo Nacional da Aviação Civil.

O aeródromo terá capacidade de operação para Boeing 737, terminal de passageiros de 4,7 mil m² e 500 vagas, além de pátio com 26 mil m², pista com 1,9 quilômetros de comprimento e 45 de largura, podendo receber oito aeronaves simultaneamente. Os estudos para implantação tiveram início em abril de 2014, quando o Aeroporto Regional Hugo Cantergiani, em Caxias, foi declarado inviável para expansão. O projeto foi dividido em três etapas:

1º Etapa – Viabilidade técnica, estudos, pareceres, licenciamento prévio, etc;

2º Etapa – Viabilidade econômica, elaboração de projetos de engenharia e execução de obras; FASE ATUAL

3º Etapa – Operação, administração e exploração do aeroporto.

Previsão do Aeroporto de Vila Oliva 

Segundo o Ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, foi confirmada para 2022 a previsão de início das obras do Aeroporto Regional da Serra Gaúcha. Será o maior investimento da aviação regional do Brasil, estamos falando de R$ 200 milhões. "Devemos licitar o projeto (executivo) agora em novembro e aí vamos ter, ao longo de 2021, o desenvolvimento do projeto para que o mais tardar em 2022 a gente licite a obra e ela comece", afirmou Freitas.  A previsão de duração dos trabalhos seria de quatro anos, ou seja, o aeroporto ficaria pronto em 2026, caso a estimativa de início da obra feita pelo Ministro se confirme.

A Saber:

Aspectos analisados no sítio em Vila Oliva - Acessibilidade a partir de Caxias do Sul: 34km do centro, sendo 23km de via pavimentada e 11km não pavimentada. - Ocupação da área de entorno: Atividades rurais, inexistência de conflitos de relacionamento urbano. Parcelamento de solo em grandes glebas, com densidade de ocupação muito baixa - Ventos predominantes: Predominância de ventos sudeste/noroeste: indicação o rumo de pista 15/33 - Topografia/ Orientação da Pista/Tipo do Solo: Ondulações e depressões suaves e platôs: favorável à orientação da pista 15/33 (regime de ventos) Composto de argila/areia; qualidade e suporte favoráveis à implantação de um aeródromo - Obstáculos, operação aérea: Necessidade de remoção de algumas árvores - Meio ambiente: Pastagens e usos agrícolas (ausência de espécies nativas), existência de estudo de implantação de Aterro Sanitário nas proximidades. -  Oferta de infra-estrutura básica: Favorável apenas quanto ao fornecimento de energia elétrica