Igreja Matriz de Criúva - Paróquia Nossa Senhora do Carmo

Igreja Matriz Nossa Senhora do Carmo de Criúva

Gratuito

Acesso livre para apreciação da área externa. Parte interna nos horários de missas ou ver com a paróquia a disponibilidade.

Abre para as celebrações de missas (geralmente domingo, 9h) 

Localizada no centro do distrito de Criúva

Fone da Paróquia: 54 3267 8253

A distância do Centro de Caxias  é de 55km. Siga pela Rota do Sol até Vila Seca, dobre a esquerda até Criuva. Fica bem no Centro, na avenida principal.

Para realização de passeio em todo o roteiro, sugere-se acompanhamento da Criúva Operadora.



Contato: (54) 3267-8253

A Paróquia N. Sra. do Carmo foi criada em 1924 e compreende o território de Criúva, distrito de Caxias do Sul. É formada por 15 comunidades, além da matriz. O Diferencial da igreja é que ela é uma das poucas construída em pedra basalto, tendo sido erguida em 1950, em homenagem a Nossa Senhora do Carmo.

Em frente a igreja matriz, se encontra uma praça belíssima que mantém seu jardim sempre florido, cercando o Monumento ao Carreteiro, representado por uma roda de carreta de cimento. Em frente à igreja, à direita da escadaria, na praça, há uma frondosa árvore Criúva, sendo um ótimo local para passar alguns minutos curtindo o silêncio da vida pacata no distrito.

Na praça da igreja ainda está localizada a estátua do Padre Pedro Rizzon, sacerdote que prestou relevantes serviços em honra à fé, religião e assistência das comunidades. Um destaque importante é dado ao resgate, valorização e promoção da Festa do Divino, mantendo vivas tradições aintigas na comunidade e também por instituir a chamada missa campeira.

Construção da nova Igreja

Por volta de 1934, uma comissão de criuvenses, junto com o Padre Porto Henrique  Alegre, resolveram construir uma Igreja toda de pedra.

Para construção da obra foi realizado contrato com irmão Muraro - Luiz, Claudio, Dario e Laurindo que eram excelentes pedreiros e construtores, prestavam serviços na comunidade.

Foi lavrado um contrato, e assinado entre as partes, estabelecendo cláusulas e compromissos, o valor por metro e o total da obra.

Imagina-se o extraordinário trabalho dos pedreiros para levantarem a igreja, que era um monumento de grandes dimensões para época.

Os alicerces têm aproximadamente um metro de espessura e os muros de 70 cm; algumas pedras com quase uma tonelada de peso. As pedras vinham da Coxilha do Tigre, extraídas da pedreira e transportadas por carretões até a vila. Uma a uma era ponteada e assentada a seco. A medida que os muros iam subindo, eram construídos andaimes e as pedras empurradas com carrinhos, até o local de serrem assentadas.

   

Iniciaram a obra os quatro pedreiros, acima referidos. Porém, pouco tempo passado, Claudio faleceu. Alguns anos  depois faleceu Luiz. Restaram Laurindo e Dario para continuarem os trabalhos, que se estendera, por mais de 12 anos até a conclusão. Antes da conclusão da obra Cláudio e a família mudaram para Paraná, (consequência do desastre que a família Muratore passou com a queima da indústria de arroelas e moinho). Laurindo permaneceu em Criúva e conclui a Igreja.Página Inicial

CLIQUE AQUI PARA TRAÇAR A ROTA ATÉ O LOCAL