Se você já tem cadastro
Se você é novo por aqui
Você é
CLIENTE ANUNCIANTE
Incluir, mostrar e destacar a sua empresa, produtos e serviços. Inclui autorização para cadastrar eventos.
PROMOTOR DE EVENTOS
Cadastro para poder incluir eventos na agenda.
Deve ser no nome do promotor responsável pelo evento.

Vinícola Sartori

Telefone (54) 9 9642 7288
Ver telefone
Vinícola Sartori  surgiu da paixão de Sadi Sartori pelos vinhedos sempre foi seu diferencial para elaborar vinhos com excelência e requinte. Seus vinhos finos de mesa e suco trazem em suas composições os detalhes e segredos de suas gerações passadas, que
Vinícola Sartori
Travesão Santa Rita, 3ª Légua, Caxias do Sul
Fone: (54) 3026 8454 Whats: (54) 9 9642 7288
Ver número
http://vinhossartori.com.br/
Horário de Funcionamento
Segunda a sábado das 09h às 11h e das 13:30min às 18h
Serviços Oferecidos
  • Degustação
  • Estacionamento
  • Internet

Vinícola Sartori nasceu de uma chuva de pedra

 

Uma forte chuva de pedra foi um dos impulsos da criação da Vinícola Sartori, na Terceira Légua. Elisabete Sartori Argenta conta que, em 1998, ano do temporal, uma parte do parreiral da família teve perda de praticamente 100%. Ele ficava separado do restante. “Nós trabalhávamos com uva e vendíamos in natura, não fazíamos vinho. Tínhamos 15 hectares e estávamos muito felizes porque seria uma super safra. Mas aí veio a chuva”, conta ela.

A família estava na área de Travessão Santa Rita, na Terceira Légua, e o parreiral danificado ficava mais para baixo. Elisabete conta que seu pai, Sadi José Sartori, olhou de cima, no caminho, e achou que não havia tido problema. Quando chegou perto com o filho, Celso, viu que estava tudo destruído. “Foi dia 11 de setembro, não esqueci mais a data. Perdemos quase tudo que tinha naquele parreiral e não sabíamos o que fazer. O meu irmão conta que ele e o pai sentaram em uma pedra e choraram”.

O avô dela, Gelsemino Sartori, sempre fez vinho para consumo próprio. E, a partir daquele prejuízo da chuva, a família resolveu dar uma mudada no negócio e apostar também na bebida, não apenas na uva. Mas com os danos do parreiral e sem dinheiro, como fazer? Na confiança. “As pipas de madeira foram feitas por um senhor da Linha 40, chamado Antônio. Ele entregava para nós e, conforme íamos vendendo vinho, nós pagávamos. Ele confiou na nossa família”. Elisabete conta que tudo aconteceu devagar, porque os Sartori costumam ter o pé no chão. O engarrafamento começou e a produção foi crescendo conforme a aceitação do mercado. “Ampliamos as máquinas quando tinha venda”.

Hoje, a Vinícola Sartori produz de 100 mil a 150 mil litros de vinho, dependendo do que a safra render. As garrafas recebem principalmente as variedades bordô, lorena, niágara e isabel. Há também produção de suco de uva e um vinho fino, elaborado com a uva cabernet sauvignon. Elisabete está inserida completamente na produção, com a ajuda de um enólogo e a experiência que teve com o pai. “Eu não conheci meu avô, mas meu pai me ensinou tudo que eu sei. Ele já faleceu e agora somos eu, meu irmão e minha mãe (Lourdes Maria Sartori), que fica mais nas tarefas da casa”.

Quanto a receber pessoas por lá, isso já acontece de forma natural, mas a ideia é organizar melhor, principalmente estipulando horários, já que ela e o irmão estão envolvidos no trabalho da vinícola. “Chegam principalmente visitantes particulares e temos um lugar para recebê-los. Queremos deixar mais ajustado aos finais de semana, que é quando o turista passeia”, adianta. Combinar antes sempre é uma boa, porque por aqui, quem recebe o visitante é a mesma pessoa que trabalha na propriedade, o que garante um turismo bastante autêntico. Entre em contato e vivencie essa experiência!

 

 

Como chegar